Ana Paula Tomelin: a primeira mulher a liderar uma crowdfunding de investimentos no Brasil

Formada em Psicologia pela Universidade Regional de Blumenau (Furb) e pós-graduada em Gestão Empresarial na FGV, Ana Paula Tomelin, CEO da Investweb, é a primeira mulher a liderar uma crowdfunding de investimentos no Brasil.

Baseada em propósitos claros de alavancar negócios através da plataforma, a empresária também inspira o público feminino a ocupar cargos de liderança e inserção no mercado de trabalho:

“É um desafio porque hoje o mercado quer trazer mulheres para setores de liderança, principalmente no setor de tecnologia. Para isso, participamos de eventos focados nesse aspecto. Um deles foi o da Google, no ano passado, onde estivemos com mil mulheres, oferecendo esse suporte e inspiração empreendedora. Além disso, promovemos eventos terceirizados para o público feminino, focando também essas questões”.

Ana Paula saiu do mercado de trabalho por um período, se dedicando integralmente aos filhos e, mais recentemente, passou a atuar na empresa do marido, Christian Rocha

Sempre teve vontade de empreender e achava que isso se realizaria tocando os negócios do pai, empresário no ramo de agronegócio, mas ele ainda está na posição.

Até que um dia viu uma grande oportunidade e sabia que ali teria total liberdade de realizar o grande sonho: empreender.

“Como o Christian sempre esteve atento ao mercado financeiro, inclusive hoje ele está em formação em investimentos, finanças e banking, teve um dia que ele chegou na minha sala e me contou sobre o mercado de crowdfunding. O meu encantamento pelo modelo foi imediato e topei na hora estar à frente deste negócio, onde atuo como gestora de pessoas, administrativo e comercial. Já o Christian atua como COO da empresa, fazendo parte do processo de avaliação dos números, valuation das empresas, na comunicação, na educação financeira que, executamos muito através dos nossos canais de mídias sociais”, destaca a empresária.

No mercado, a Investweb, que foi criada em Blumenau, se diferencia por questões técnicas. As empresas geralmente ou oferecem debt crowdfunding ou equity crowdfunding, no qual o primeiro corresponde aos modelos de mercado imobiliário com prazo de retorno determinado e o segundo diz respeito ao modelo de participação societária do negócio. A Investweb, portanto, atende as duas opções.

“Hoje estamos trabalhando também muito além dos números e rentabilidade. Estamos focados em educar o mercado, através de diversos conteúdos produzidos e alinhados em nossos canais de comunicação. No longo prazo, queremos e acreditamos colher muitos frutos com isso”, conta.

A empresária ressalta que “ao fazer um investimento para uma instituição financeira tradicional por exemplo, você está gerando lucros exclusivamente para ela mas, quando você investe na Investweb, você está criando um ciclo virtuoso da economia, proporcionando benefícios para todos, investidor, empresa, empregador enfim, gerando emprego e movimentando a economia”. 

Outro aspecto citado é em relação aos riscos do investimento. Geralmente em retornos mais altos, os riscos são mais altos também. E um ponto de destaque na Investweb é em relação ao grau de informações e transparência repassadas em cada captação da plataforma. 

Todos possuem diversos documentos detalhados sobre a empresa, bem como explicação sobre o investimentos, porcentagem de retorno, riscos, propósitos, crescimento, entre outros. 

“Passamos por uma auditoria completa da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no qual somos obrigados a deixar os pontos sobre os investimentos bem claros”, comenta.

Neste ano, a Investweb está captando em sua plataforma cerca de R$ 3,5 milhões, envolvendo 4 projetos.

Além disso, possui em seu portfólio uma captação encerrada com sucesso, no valor de R$ 851 mil.

A intenção é chegar a R$ 50 milhões movimentados por ano, focando em pequenas e médias empresas.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. EntendiSaiba mais