Aceleradora recifense está impulsionando startups de todo país

A Overdrives, que é mantida pela Ser Educacional, um dos maiores grupos brasileiros de educação superior, está acelerando e investindo em startups brasileiras do norte ao sul do país.

Serão investidos um total de quase R$ 2 milhões até o final deste ano. O foco da aceleração são startups em começo de operação.

Um dos diferenciais é ter à disposição das startups um ambiente universitário, o grupo Ser Educacional é dono de marcas como Uninassau, Uninabuco, Univeritas, Unama e Uninorte.

Além disso, dentro do cenário aquecido de CVCs no ecossistema de inovação, a aceleradora é a única deste segmento, que investe em startups sem intenção de compra, como a Fixit, a Alfaia e a UpSaúde.

Para o presidente do grupo Ser Educacional, Jânyo Diniz, as empresas têm muito a contribuir com a sociedade:

“Selecionamos empresas de diversos segmentos e com potencial para criar novos negócios e desenvolver soluções que facilitem o dia a dia da população. Juntos, vamos desenvolver os projetos inovadores destas startups com o objetivo de atrair outras com potencial de sucesso e grandes empresas para, juntas, desenvolverem conexões, oportunidades de negócio e investimentos adequados”.

Neste ano, a aceleradora fez uma parceria inédita com a NE Capital do Grupo JCPM, uma das maiores holdings do país com atuação nos setores de shopping center, imobiliário e de comunicação para acelerarem juntos mais empresas inovadoras. 

“Com a pandemia do novo coronavírus toda nossa base metodológica foi redesenhada de modo que, hoje, ser remoto é estrategicamente mais interessante. O novo método foi aplicado nas últimas turmas e comprovado por entregar a mesma qualidade dos processos presenciais”, explicou o diretor da aceleradora, Luiz Gomes.

O programa apresenta um modelo de aceleração atrativo por cobrir as cinco demandas principais das startups em início de operação: acesso à capital, acompanhamento estratégico e operacional, conexão com o mercado, apoio técnico por meio de uma extensa rede de mentores e o desenvolvimento de uma comunidade empreendedora aberta às trocas de experiência.

CASES

Uma das startups que mais se destacaram no programa é a Fix it, healthtech que desenvolveu um substituto descolado e ecológico ao gesso para a imobilização de membros e articulações. A empresa já vendeu 5 mil órteses este ano e prepara expansão do negócio pelo mundo.

De acordo com Felipe Neves, CEO da Fix it, a startup já tem atuação no Paraguai e na Argentina, mas negocia operações em outros sete países ao redor do mundo como Uruguai e Suíça.

Já o Scamb nasceu para atuar no tripé moda + tecnologia + sustentabilidade, navegando mais especificamente no mercado de segunda mão e trazendo uma solução que vai além das propostas atuais.

O objetivo é promover a real circularidade das coisas paradas com uma solução econômica e sustentável para os usuários. A empresa está neste momento expandindo para o nordeste brasileiro.

Até mesmo empresas internacionais estão sendo aceleradas, como a WhyWaste que surgiu em 2015 na Suécia com um sonho de eliminar o desperdício de alimentos no mundo com uso de inteligência artificial.

A startup desenvolveu um sistema data-driven que ajuda o varejo a identificar alimentos cuja data de validade está próxima, possibilitando que sejam processados, utilizados ou doados, em vez de descartados. 

Hoje a empresa está presente em 12 países e quatro continentes, onde rodam a tecnologia em prevenção de perdas em milhares de lojas das principais redes de varejo do mundo, viabilizando reduções que chegam a 60% em seus índices históricos. A WhyWaste já recebeu aproximadamente R$ 3,7 milhões em investimentos.

Com 3 anos de operação, a Overdrives já realizou 5  turmas de aceleração, 15 investimentos em startups que atuam em mercados distintos.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais