Relatos coletivos via plataforma digital: uma ferramenta para as empresas identificarem problemas recorrentes de má conduta

Por Rafaela Frankenthal, cofundadora da SafeSpace.

Por mais que as empresas estejam, aos poucos, aderindo a boas práticas de compliance e incluindo políticas que tem como objetivo garantir as pessoas colaboradoras  um ambiente ético, diverso e inclusivo, é fato que elas ainda têm pouca visibilidade dos problemas envolvendo assédio, discriminação e até mesmo fraudes. Só para se ter uma ideia, um levantamento da consultoria Gartner mostra que 60% de todos os casos de má conduta que acontecem no ambiente de trabalho nunca são reportados para o RH ou Compliance.

Se é assim, como as organizações poderão combater esses abusos de poder?

A questão ganha uma proporção ainda mais preocupante quando nos deparamos com vários estudos que mostram  que os casos de má conduta continuam acontecendo com grande frequência nos ambientes corporativos. De acordo com dados publicados pelo Linkedin e pela consultoria Think Eva no ano passado, 47% das mulheres já sofreram algum tipo de assédio no ambiente de trabalho e uma em cada seis vítimas de assédio acabam pedindo demissão. Outra pesquisa, esta  realizada pela SafeSpace em parceria com a Mindminers, revela que 55% das pessoas LGBTQIA+ já viveram alguma situação de discriminação no trabalho e 64% já testemunharam o mesmo com alguém da equipe. Entre essas pessoas, 13% já pediram demissão ou perderam o emprego por conta disso.

E por que as pessoas não relatam tais problemas de comportamento vivenciados em seu dia-a-dia de trabalho? 

Neste pouco mais de um ano em que estamos operando a plataforma digital da SafeSpace – criada com a proposta inovadora de prevenir, comunicar e resolver problemas de comportamento no trabalho de forma segura, rápida e prática – percebemos que, muitas vezes, o que impede alguém de formalizar um relato  é o fato dela não querer sustentar aquele caso sozinha, ou seja, ser a primeira a levar o assunto aos departamentos responsáveis ou a seus superiores.

Para solucionar isso, e como forma de aperfeiçoar cada vez mais a plataforma da SafeSpace e dar mais visibilidade às empresas, criamos a função Connect. A nova funcionalidade permite o envio de um relato sob a condição de que este faça parte de um padrão de comportamento. A hipótese base do Connect é que a força de uma ação coletiva ajuda a gerar confiança para as pessoas e dá uma chance maior para a empresa identificar questões recorrentes antes que elas escalem. A ferramenta, portanto, empodera e dá voz a quem não está no alto escalão das corporações e, por isso, muitas vezes se sente mais intimidado a levar adiante uma denúncia.

Seja em um caso de fraude ou de assédio sexual, situações de má conduta no trabalho são abusos de poder e geralmente acontecem de forma recorrente envolvendo mais de uma pessoa na organização. Sendo assim, a primeira pessoa que se manifesta sempre toma para si um grande risco. Por conta dessa desvantagem, os casos demoraram muito mais para vir à tona. Agora ainda mais completa com a função Connect, a plataforma da SafeSpace passa a atuar para minimizar também esse risco.

Em nossa visão, a grande maioria das pessoas não é assediadora ou corrupta, mas, por conta da estrutura desigual da nossa sociedade, pode acabar cometendo desvios de comportamento, mesmo que a intenção, em alguns casos, não seja de fato agredir.  Consideramos que é parte fundamental do nosso trabalho auxiliar as empresas a prevenir problemas de má conduta  no longo prazo e, com o Connect, elas poderão fazer isso mostrando para suas equipes que um comentário ofensivo – mesmo que não intencionado – pode acabar validando e impulsionando outro comportamento mais prejudicial. 

Esta é uma forma de as corporações darem aos seus colaboradores uma chance de aprenderem e mudarem suas posturas, o que é muito mais produtivo e menos custoso do que entrar com medidas punitivas depois que o problema já se espalhou.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais