Startup de SC cresce 48% com solução para preservar medicamentos

A startup Sensorweb, especialista em soluções de Internet das Coisas (IoT) para a cadeia fria da saúde e logística, alcançou crescimento de 48% no número de novos negócios firmados entre março e julho deste ano.

O ganho significativo reflete o período de vigência da RDC 430, da Anvisa, que padroniza as boas práticas de distribuição, armazenagem e de transporte de medicamentos, e o aquecimento do mercado na procura por tecnologias capazes de garantir a preservação da eficácia de produtos sensíveis à temperatura e que devem seguir rígidos padrões informados pela indústria farmacêutica, o que inclui ampla gama de insumos, medicamentos termolábeis e, agora, em especial, as vacinas contra o coronavírus.

A evolução de contratos e negociações por parte da startup se deu principalmente com a prospecção outbound dedicada ao segmento logístico.

De acordo com Mariana Amorim, coordenadora comercial da Sensorweb, a alta é puxada pelas empresas transportadoras de produtos refrigerados destinados à saúde:

“Os operadores logísticos ainda estão se adaptando às normas mais recentes da Anvisa, vigente desde 16 de março, e que tem como data limite um ano para adequação. Como a RDC 430 indica a necessidade de haver monitoramento e controle das condições de manutenção de medicamentos e produtos termolábeis com o uso de instrumentos calibrados para empresas de armazenamento e distribuição, acreditamos que potenciais clientes hoje, no futuro, possam perpetuar nosso crescimento dentro desse nicho de mercado”.

De Florianópolis, atualmente a Sensorweb tem faturamento anual acima de R$ 5 milhões e cresce entre 30% a 50% ao ano, contemplando mais de 6 mil sensores de monitoramento de temperatura e umidade instalados em cerca de 220 clientes entre hospitais e clínicas, bancos de sangue, laboratórios e pesquisa, logística e indústria farmacêutica.

“Em termos de negócios, estamos priorizando o monitoramento de temperatura automatizado especialmente na área de Logística, devido à RDC, e ao grande volume de trabalho relacionado às vacinas. Hoje temos clientes que realizam desde os testes e análises, transporte, distribuição e armazenamento, até chegar na ponta do combate à pandemia: hospitais com leitos de “UTI-Covid” e unidades básicas de saúde que estão vacinando a população. Estar em todos esses elos da cadeia da Saúde é extraordinário e nos demanda um olhar cuidadoso e uma melhoria constante dos nossos processos e soluções. Isso não só considerando a eficiência e a confiabilidade dos nossos sistemas para os termos financeiros, mas também para garantir a preservação da qualidade de produtos que podem chegar a salvar vidas”, destaca Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais