Darwin aposta no mercado segurador e atrai seed money de R$ 11 milhões

Os jovens executivos Carlos Alberto Souza Barros e Firmino Freitas deixaram suas carreiras para empreender no mercado segurador.

Em fevereiro, fundaram a Darwin, insurtech paulista que usará tecnologia, dados e inteligência artificial para oferecer um ecossistema completo de produtos flexíveis e com preços adequados para cada perfil de usuário.

O projeto é tão inovador que chamou a atenção de investidores institucionais e relevantes investidores-anjo, todos players estratégicos no setor de atuação da startup, e atraiu um aporte seed money de R$ 11milhões.

“A Darwin nasce focada num objetivo principal: ouvir nossos clientes. Só assim entendemos que vamos mudar o mindset do mercado atual e garantir a satisfação e experiência ao longo de toda a jornada com a Darwin. Esta captação, junto com o know-how de nossos investidores, acelerará os investimentos em tecnologia, inovação e atração de talentos, pilares fundamentais do nosso DNA. Criaremos um ecossistema completo de seguros e outros produtos financeiros, totalmente digitalizado e customizado, mas sem deixar de ser humanizado, oferecendo uma proposta de valor única no mercado, com intuito de melhorar a experiência dos usuários que já estão dentro do mercado e trazer milhões de brasileiros ‘invisíveis’ para dentro de uma indústria tão importante na economia”, destaca Firmino Freitas, co-fundador da startup.

APOSTA

O primeiro produto será um seguro de proteção veicular completo. Com a jornada 100% digital, desde a cotação até o pagamento de sinistro, a startup inovará ao usar um sistema de telemetria no celular do segurado.

O cliente fará o download do aplicativo, que avaliará o seu perfil de dirigibilidade, seu estilo de vida e fará com que ele tenha o seu próprio Darwin Score.

Isso permitirá a criação de parâmetros de precificação mais precisos e adaptáveis para o cálculo do prêmio de cada pessoa.

Não haverá o sistema padrão de “preço médio” do seguro para consumidores com perfis semelhantes, usado por boa parte da concorrência, mas que acaba criando médias injustas.

Além disso, como os processos não serão burocráticos e nem terão papelada, os prazos tanto de contratação do produto, quanto de resolução do sinistro serão até 95% menores do que os praticados no mercado e que demoram dias ou até semanas.

“Nossos planos de expansão do portfólio de produtos incluem outros ramos como o residencial e celular, além da oferta de produtos financeiros que tenham sinergias com a nossa carteira de clientes, como o crédito para pessoa física. Faremos isso de forma constante, embora controlada, quando já tivermos uma base mais sólida de segurados. Esperamos atingir um milhão de pessoas nos primeiros cinco anos de operação do nosso ecossistema de produtos e soluções”, explica Carlos Alberto Souza Barros, co-fundador da Darwin. 

CAPTAÇÃO

A primeira captação da insurtech teve a participação dos fundos de venture capital Invisto Capital (SC) e Duxx Investimentos, fundos com investimentos em fintechs e insurtechs, e que no caso da DUXX, conta como principais acionistas Marcos Couto, que tem mais de 30 anos de experiência em seguros, e Daniel Matumoto.

O investimento envolveu ainda outros investidores estratégicos como Felipe Affonso, ex-diretor do Softbank Brasil, Antonio Lemos, ex-CEO da Unidas, Ricardo Bechara, ex-CEO e fundador da Rappi Brasil, Fernando Julianelli, CEO da Stockcar, e Enrico Ventura, ex-diretor geral na Bradesco Seguros Auto/RE.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais