Cervejaria de Blumenau faz homenagem para Feldmann, primeira do país a lançar o estilo Bock

A Capital Brasileira da Cerveja conquistou o título alicerçada na relação do município e dos seus moradores com a bebida.

Há registros de produção de cerveja em Blumenau desde os primeiros anos da imigração que deu origem ao município.

Para celebrar esta história, a marca que leva o nome da cidade decidiu homenagear uma das mais longevas fábricas da bebida: a Cervejaria Feldmann, que funcionou por mais de 60 anos.

Em setembro, a Cerveja Blumenau vai lançar, com o nome da tradicional marca, uma Bock

A escolha não é por acaso. De acordo com os registros, a Feldmann lançou a primeira Bock produzida no Brasil, no início do século XX.

O diretor executivo da Cerveja Blumenau, Valmir Zanetti, afirma que relembrar a história faz parte do desejo da marca:

“Nós queremos olhar para a tradição, valorizar o presente deste mercado e ajudar a construir o futuro”, diz. “A história da Feldmann é inspiradora porque tem nela muito do que Blumenau se tornou hoje no universo cervejeiro: sinônimo de dedicação, inovação e educação cervejeira”.

Nelson Feldmann, bisneto do fundador da cervejaria, Heinrich Feldmann, ficou surpreso com o contato da cervejaria para a homenagem:

“Ficamos muito felizes com o processo de resgate das memórias e do nome da nossa família. Tivemos conversas com o time da cervejaria, compartilhamos memórias e o respeito que todos tiveram com as nossas histórias e com o papel da Cervejaria Feldmann na construção da marca cervejeira de Blumenau nos emocionou”.

Matérias-primas locais: um novo passo para Blumenau

Para desenhar a receita desta Bock, o cervejeiro Marcos Guerra e a equipe mergulharam na história das cervejas do início do século XX.

“Estudamos o que há de registros sensoriais e matérias-primas disponíveis na época para tentar remontar características que fizessem jus a uma cerveja tão importante quanto a primeira Bock do Brasil”, destaca.

Há, por exemplo, indícios de sabores defumados por conta do processo de malteação, feito à lenha na época. 

Junto com a preocupação com a história, a cerveja também aponta caminhos para o presente e futuro do mercado cervejeiro: os maltes utilizados são da Malteria Blumenau e os lúpulos colhidos na região, da Lúpulos Vale Europeu.

“Acreditamos que uma forma de valorizar a história é, também, mostrar de que forma ela contribuiu para a construção do cenário cervejeiro local hoje em dia, que se expande para além das fábricas e chega nas matérias-primas, processos, serviços e conhecimento. Teremos uma cerveja que alia história e terroir. Mal podemos esperar para compartilhar essa receita com os consumidores”, complementa.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais