Varejo de SC começa a se adequar à emissão de NFC-e

Hoje, cada estado brasileiro possui liberdade para determinar as regras no que diz respeito à emissão dos documentos fiscais eletrônicos, e é por este motivo que em alguns estados a emissão da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) já é obrigatória e, em outros, esta transição do cupom fiscal para digitalização do varejo ainda está acontecendo, como é o caso de Santa Catarina.

O estado é o último do país a se adaptar a este novo cenário no varejo, que ainda não tem data para a obrigatoriedade.

Para o diretor técnico do MYRP, Tibério César Valcanaia, a digitalização do varejo pode trazer muitos benefícios:

“Com a migração para a nota fiscal de consumidor eletrônica, o processo proporcionará vantagens para os consumidores, varejistas e também para os profissionais do setor contábil”.

Em Blumenau, uma loja do setor de vestuário já emitiu a sua primeira nota fiscal de consumidor eletrônica. Com a solução disponibilizada pelo MYRP, software de emissão de documentos fiscais eletrônicos por meio do seu sistema de gestão empresarial, a loja Noa Noa, emitiu em 7 de março de 2021 a sua primeira NFC-e, conforme relata a empreendedora Valéria de Fátima Martins Trentini:

“O programa é muito fácil de utilizar, facilitando a emissão da nota fiscal. Além disso, consigo acompanhar de forma remota a emissão”.

Ela comenta que a principal vantagem na emissão da nota fiscal de consumidor eletrônica (NFC-e) para o seu negócio é a economia financeira:

“Se não tivesse acontecido essa parceria com o MYRP, eu teria que investir em torno de 4 mil reais para comprar a impressora fiscal lacrada e mais a instalação do sistema. Pesquisei entre muitas empresas de Blumenau e região, não havia nenhuma que se mostrasse efetiva e que me auxiliasse dessa forma. Pude implantar tudo com o custo somente da mensalidade”.

Área exclusiva para contadores

Para os profissionais que atuam no setor contábil, a emissão da NFC-e também é muito vantajosa, principalmente, quando pensamos na facilidade que o contador terá em fazer o download dos dados do cliente.

A profissional de contabilidade, Fabiele Cristine Thomazi, explica que com a chegada da NFC-e o processo de emissão de nota fiscal para o cliente será mais rápido e econômico:

“O armazenamento dos documentos também será mais seguro. Já tivemos problemas com clientes que tinham um emissor de ECF que acabou dando problema na máquina e acabaram não conseguindo recuperar os dados. A facilidade também é um grande benefício, já a importação da NFC-e para o nosso sistema também será muito mais rápida, não precisando lançar manualmente os dados da redução enviados pelos clientes”.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais