Empresa de tecnologia destaca avanço de mulheres em posições de gestão

A participação das mulheres no mercado de tecnologia tem avançado nos últimos anos. Em Santa Catarina, conforme dados do Acate Tech Report 2020, elas já respondem por 42,7% da força de trabalho no setor.

Porém, a presença em cargos de gestão e liderança ainda é um desafio. Na Dígitro Tecnologia, empresa com sede em Florianópolis, há mais de 100 profissionais do sexo feminino em atuação e elas já ocupam posições de gerência e coordenação em áreas técnicas e estratégicas para o desenvolvimento de soluções na empresa.

“O setor de tecnologia sempre foi tradicionalmente masculino, mas não porque as organizações rejeitavam profissionais simplesmente pelo fato de serem mulheres. Sempre existiu espaço e abertura no mercado, mas havia um número menor de profissionais mulheres qualificadas. Tendência que nos dias de hoje, já tem mudado”, avalia Mariana Polli, gerente de Recursos Humanos da Dígitro Tecnologia. Ela atua no setor há  17 anos e acompanhou de perto essa transformação. 

Na empresa, há mulheres em posição de comando em áreas técnicas. Uma delas é a engenheira elétrica Danielle Nishida, que teve seu primeiro emprego na companhia, onde já atua há 23 anos:

“Um robô de testes de centrais telefônicas foi um dos primeiros projetos em que trabalhei. Depois desse, vieram vários outros. Eu tentava aprender o máximo que podia com os colegas, sempre olhando ao redor e tentando identificar problemas que eu pudesse ajudar a resolver”.

Com a experiência, ela passou a coordenar projetos, até ascender ao cargo de Gerente de Desenvolvimento.

Danielle conta que os desafios na posição de liderança são indiferentes à questão do gênero. Acompanhar as transformações do mercado de tecnologia, inovar, buscar resultados alinhados com a política da empresa e estar aberta a ouvir as necessidades do time estão entre eles.

“Se houve alguma barreira por ser mulher? Sempre há casos pontuais, pessoas que subestimam sua capacidade antes de te conhecer. Nesses casos, a melhor estratégia é não dar importância aos julgamentos e focar no seu trabalho e na entrega de resultados. Nada é mais convincente que entregar resultado”, destaca. 

Para Mariana, que participa das reuniões do Comitê Executivo da Empresa como a única mulher no grupo, a visão é parecida:

“Sou tratada como igual pelos meus pares, e me sinto desta forma. E percebo que minha presença traz polidez nas discussões, os participantes demonstram um certo cuidado nas interações. Quando há assuntos um pouco “mais quentes” e alguns acabam extravasando, falando algo no calor da emoção, imediatamente me pedem desculpas pelo que consideram um “deslize” na presença de uma mulher. Acho engraçada a situação, dispenso as desculpas, e seguimos em frente.”

DESENVOLVENDO NOVAS GERAÇÕES

As carreiras na área de tecnologia são as que mais apresentam crescimento em todo o mundo.

De acordo com Mariana, existe um gap de profissionais preparados frente às oportunidades do mercado. Por tudo isso, o setor é receptivo para as jovens que estão definindo uma profissão:

“Vejo que as mulheres, inclusive, podem ter vantagem em relação aos seus pares, ao unir perfil técnico e comportamental, uma vez que naturalmente somos um pouco mais empáticas, versáteis, adaptáveis e criativas, características importantes em profissionais de destaque”.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. EntendiSaiba mais