SC reforça a importância do cultivo de cereais de inverno para ração animal

Com uma cadeia produtiva de carnes em constante crescimento, Santa Catarina busca alternativas para reduzir a dependência de milho e diminuir os custos de produção.

A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural pretende reforçar o apoio para o plantio de trigo, triticale e cevada.

Esse foi o assunto de reunião entre o secretário Altair Silva e o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi, nesta segunda-feira, dia 22, em Chapecó. 

A pasta já desenvolve um Projeto de Incentivo ao Plantio de Cereais de Inverno, que pretende ampliar em 120 mil hectares a área plantada com esses grãos no estado.

“Nesse momento, por exemplo, os suinocultores independentes passam por dificuldades devido à elevação nos preços do milho e ao alto custo de produção. Os grãos de inverno podem se tornar uma alternativa importante para os produtores e para o agronegócio catarinense. A ACCS será uma grande parceira para desenvolvermos a produção estadual”, destacao secretário.

O estado é um dos maiores importadores de milho do Brasil. Todos os anos mais de 4 milhões de toneladas do grão são importados de outros estados e países para abastecer a cadeia produtiva catarinense.

A intenção é ocupar as lavouras também no inverno, trazendo uma alternativa de renda para os produtores e mais competitividade para a cadeia produtiva de carnes. 

“Esse ano teremos dificuldades para importação de mais de 5 milhões de toneladas de grãos e precisamos buscar alternativas, ocupando as terras paradas no inverno. Os cultivares de inverno também podem ser utilizados na fabricação de ração para suínos. Outra medida importante é a abertura da Rota do Milho, precisamos que o milho chegue em Santa Catarina com um custo menor”, explica Losivanio.

O incentivo para produção de cereais de inverno vem complementar outras ações desenvolvidas pelo Governo do Estado para aumentar o fornecimento de insumos.

Santa Catarina trabalha para viabilizar a Rota do Milho, trazendo o grão do Paraguai diretamente para a região Oeste, além de executar o Programa Terra-Boa, que apoia a produção de milho de alta qualidade.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais