Setor moveleiro de SC cresce com alta demanda no ano passado

Com o avanço da pandemia, o cenário se mostrava desafiador. Mas a mudança de comportamento do consumidor brasileiro, ao longo do ano passado, fez a venda de móveis alcançar 11,9% de crescimento.

Foi o segmento que mais avançou em volume de vendas no ano passado no país, em relação ao ano anterior, conforme Pesquisa Mensal do Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esse desempenho foi favorável à indústria de Santa Catarina, que registrou uma elevação de 2,4% na produção industrial de móveis.

O resultado foi muito superior ao alcançado pelo setor como um todo no Brasil, que não conseguiu recuperar as perdas dos primeiros meses e fechou o ano com um recuo de 3,8%.

Na indústria de forma geral, no país, a queda foi ainda maior e chegou a 4,5%, segundo levantamento do IBGE.

O comércio sentiu o aumento da demanda por móveis a partir do mês de junho, quando as vendas passaram a crescer de forma constante até dezembro.

No varejo catarinense, a alta foi de 6,9%. O estado de São Paulo, por sua vez, para onde é destinada grande parte da produção de móveis do polo moveleiro de São Bento do Sul (SC), o crescimento foi de impressionantes 21,4%.

Com o varejo aquecido, as indústrias moveleiras passaram a trabalhar em plena capacidade. O ritmo de produção trouxe inclusive novos desafios a serem superados, como dificuldade na contratação de mão de obra e escassez e consequente alta de preços de matérias-primas.

Para o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul, Fernando Hilgenstieler, os reflexos das mudanças impostas pela pandemia, como isolamento social e realização de atividades em home office, incentivaram as famílias a investir em seus lares:

“As pessoas passaram a renovar o mobiliário e atualizar a decoração para melhor conforto e bem-estar em suas casas. Como fabricantes, vimos a produção aumentar nos últimos meses para atender à crescente demanda do mercado”.

O desempenho positivo do mercado refletiu nos índices de empregabilidade. Segundo dados do Caged, o saldo de empregos no ano passado foi de 25.192 vagas criadas na indústria da transformação em Santa Catarina.

Desse total, 5.026 postos foram criados no setor de madeira móveis, que é o quarto maior gerador de mão de obra no estado.

O mesmo levantamento mostra que, em São Bento do Sul, o segmento fechou com um saldo positivo de 79 vagas no ano passado.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais