Engie investe mais de R$ 15 milhões em projetos na área da saúde

Para ajudar a população a superar a pandemia, além de fomentar iniciativas de mais de R$ 7 milhões em parceria com seus colaboradores, a Engie investiu adicionalmente R$ 8,354 milhões em outros projetos na área da saúde com recursos oriundos de leis de incentivo.

Os aportes vão beneficiar 23 projetos de instituições que atendem a população nas áreas de oncologia e acessibilidade, em 16 municípios de atuação da empresa espalhados por todas as regiões do Brasil.

São ações que tiveram seu planejamento entre os anos de 2018 e 2019, mas que começaram a ser executadas no segundo semestre do ano passado e continuarão em implantação no decorrer de 2021 e 2022.

“São investimentos para instituições e projetos relevantes na área da saúde, que atendem uma parcela vulnerável da população que precisa de apoio adicional nesse momento desafiador. Estas ações demonstram o comprometimento da Engie com o bem-estar das comunidades do entorno de seus empreendimentos, as quais são públicos-chave para a sustentabilidade do negócio”, destaca a diretora administrativa da Engie Brasil Energia, Luciana Nabarrete.

No combate ao câncer, a empresa fez investimentos por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), que permite às empresas a destinação de parte do imposto de renda para projetos de entidades filantrópicas nesta área.

Já os projetos no âmbito de acessibilidade, realizados por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas), visam incentivar ações e serviços para a reabilitação de pessoas com deficiências físicas, motoras, auditivas, visuais, mentais, intelectuais, múltiplas e de autismo.

Entre os principais investimentos para promover a saúde, destaca-se a destinação de R$ 2,406 milhões para diversas unidades da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) no Brasil, e de R$ 2,630 milhões para hospitais de municípios onde a companhia atua, bem como para o patrocínio a projetos de grande complexidade, como a aquisição de tomógrafo para o Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon), em Florianópolis (SC), a aplicação de células-tronco em estudos pré-clínicos de regeneração da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec), no Rio de Janeiro (RJ), e para o aumento da capacidade do Hospital de Uberaba (MG) em realizar exames diagnósticos por imagem (PET CT), indicados para a detecção de cânceres.   

“A Engie faz uso dos programas de incentivo fiscal há muitos anos de maneira estruturada e alinhada à estratégia da empresa junto aos seus públicos-chave, com o objetivo de assegurar que as nossas operações beneficiem a sociedade como um todo. Além disso, capacitamos instituições para se habilitarem a receber estes recursos” complementa Eduardo Sattamini, diretor-presidente e de relações com investidores da companhia.

Além disso, também apoiou projetos por meio do Fundo para Infância e Adolescência (FIA), beneficiando o Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR), e o Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão (SC). 

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais