FastBuilt quer estar em 1 milhão de apartamentos até 2023

Engenheiro civil com mais de 20 anos de experiência. Em 2018 vendeu a participação numa empresa do ramo que tinha com outro sócio, e entrou de cabeça no mundo das startups, buscando soluções para o segmento através de pesquisas. Em outubro do mesmo ano, após consultar um amigo que trabalhava com tecnologia, resolveu investir no desenvolvimento do que viria a ser a empresa hoje. Esse é um resumo da história de Jean Ferrari, fundador da FastBuilt.

A startup de Blumenau tem como propósito ajudar construtoras a se relacionarem com clientes, desde a gestão e o acompanhamento da obra, até a finalização com a geração de QR Code que contém um dossiê completo das informações do apartamento (projetos, fotos das tubulações, materiais usados, garantias, entre outros). 

Adriana Bombassaro, que é formada em computação e foi de estagiária até chegar no cargo de executiva numa empresa de tecnologia da cidade, decidiu, após 15 anos de carreira, alçar novos voos. 

Numa conversa com Jean, no ano passado, ela se tornou sócia do negócio. Desde lá, a plataforma recebeu mais uma funcionalidade: o de assistência técnica, que permite fazer solicitações sobre algum problema do apartamento diretamente com os gestores do prédio.

“A principal dor identificada foi justamente porque na maioria dos prédios as plantas ainda são disponibilizadas em papel e as demandas são feitas por telefonemas, o que pode atrasar a resolução da demanda”, destaca Adriana

Um dos pilares da startup também é a geração de conteúdos e promoção de eventos para contribuir com a evolução do setor. Exemplo disso foi o Fastbuilt Experience, realizado em novembro do ano passado e que se consolidou como um dos maiores e principais eventos do segmento de inovação para a construção no país. Foram mais de 50 palestrantes e transmissão on-line e gratuita para todo o Brasil. 

“Nosso principal objetivo é transformar digitalmente o setor de construção, tanto pela solução proposta quanto por meio de conteúdos e eventos”, complementa Jean

De acordo com o empresário, o próximo será em outubro e deve ter o dobro de palestrantes.

PRÓXIMOS PASSOS

Apesar de estar no mercado há quase 3 anos, foi só em abril de 2020 que a solução começou a ser comercializada. Desde então, a startup acumula em seu portfólio 12 empreendimentos e 10 construtoras, somando mais de 1 mil apartamentos atendidos.

A meta para esse ano é crescer 20% por mês em faturamento e chegar a 155 empreendimentos até o final do ano. 

O foco, para os próximos anos, é ser referência no Sul e Sudeste e chegar a 1 milhão de lares utilizando a solução até 2023.


Este conteúdo é exclusivo do Economia SC. A reprodução está autorizada mediante citação de veiculação no portal.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais