Setembro amarelo: ações de empresas de tecnologia fornecem apoio aos colaboradores

Desde 2015, a campanha do Setembro Amarelo, que tem como objetivo criar um sistema de combate ao suicídio, é apoiada por instituições como o Centro de Valorização da Vida (CVV), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

De acordo com o levantamento feito por eles, ocorrem 32 mortes de brasileiros diariamente que são atribuídas ao suicídio.

Em relação aos números mundiais, a média é de 1 suicídio a cada 40 segundos, o que é um número alarmante que soma ao menos 1 milhão de suicídios por ano.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que nove entre dez suicídios poderiam ser prevenidos e evitados com o reconhecimento de sinais e de pedidos de ajuda que muitas vezes são perceptíveis, como a utilização de frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer”.

Deve-se ter em mente que o suicídio é utilizado, na grande maioria das vezes, como válvula de escape de dores, preocupações e problemas quando a pessoa não enxerga uma saída viável.

O papel das empresas tem ganhado destaque não apenas perante o mercado de trabalho e os colaboradores da organização, mas pelo público.

Isso porque as empresas devem prezar pela saúde física e mental de seus colaboradores e aderir à campanha do Setembro Amarelo pode ser uma forma de fazê-lo.

Confira exemplos do que as empresas de tecnologia estão fazendo para fornecer apoio aos funcionários.

Eduque os colaboradores 

Educar os colaboradores quanto à saúde psíquica é uma tarefa essencial. A Dígitro Tecnologia está promovendo neste mês, por meio da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), uma campanha convidando todos a refletirem sobre o assunto, ajudando a identificar os sinais de alerta e  incentivando a busca por ajuda. A empresa também possui outras frentes e ações que abordam o tema.

“No mundo em que vivemos hoje, cada vez mais acelerado e imediatista, é preciso cuidar da mente com a mesma disposição que cuidamos de outras partes da vida, como o trabalho, por exemplo”, comenta Mariana Polli, gerente de Recursos Humanos.

A empresa também está projetando uma luz amarela na fachada da sede, em Florianópolis, em solidariedade ao importante trabalho desenvolvido pela CVV

Fale sobre saúde mental o ano inteiro

Conversar sobre emoções e promover uma cultura voltada ao bem-estar das pessoas  deve ser uma prática no ambiente de trabalho.

Por isso, a Involves, empresa de tecnologia que desenvolve soluções em trade marketing, conta com o Projeto Jornada do Bem-Estar, uma iniciativa contínua para garantir um ambiente de trabalho seguro e acolhedor.

A gerente de pessoas da empresa, Thuany Schutz, explica que o projeto oferece diversas ações para promover qualidade de vida para a equipe:

“Na Involves nosso objetivo é que as pessoas trabalhem bem, ou seja, que elas estejam bem e assim possam entregar os melhores resultados. Para isso, sabemos que é preciso pensar em saúde física, mental, emocional e financeira”.

Entre as ações da empresa estão a parceria com uma clínica que oferece atendimentos  psicológicos e outras terapias, como acupuntura e terapia holística, para colaboradores da Involves e seus familiares com valores reduzidos.

A saúde mental também é tema de conversas entre a equipe. E para marcar o Setembro Amarelo, a empresa convidou o psicólogo Alexandre Maia para um encontro online com o tema  “Um momento para você refletir sobre o que sente”.

Aposte na escuta contínua 

Na Pulses, startup que tem soluções de clima organizacional, a estratégia é a escuta ativa e contínua.

A plataforma da empresa permite que os líderes possam acompanhar, por meio de pesquisas frequentes, as opiniões da equipe, tanto em questões de trabalho quanto mentais. No início da pandemia, por exemplo, os gestores fizeram uma pesquisa interna e perceberam que os colaboradores tiveram um aumento nos níveis de estresse e ansiedade.

A partir disso, criaram grupos de apoio emocional, com o acompanhamento de um psicólogo parceiro e sem a presença dos líderes, para deixar o colaborador mais à vontade caso precisasse fazer alguma queixa sobre o trabalho.

O resultado: feedbacks positivos sobre a ação e diminuição dos níveis de problemas relacionados à saúde mental.

O time da Pulses também conta com uma plataforma de bem-estar, engajamento e gamification, que disponibiliza um acompanhamento diário da sua saúde física e mental, e tem descontos exclusivos em psicoterapias e academias.

“Essa escuta contínua dá voz ao colaborador e cria um canal aberto de comunicação onde ele pode manifestar suas ansiedades e sugerir pontos de melhoria para a empresa. Assim, o líder consegue acompanhar regularmente como o seu time está se sentindo, e diagnosticar pontos de ações para agir de forma mais rápida e diminuir essa ansiedade, que pode acabar acarretando em problemas mentais mais sérios”, destaca Renato Navas, head of people science da startup. 

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais