Associação Catarinense de Tecnologia cria vertical para estimular a inovação nas cidades

Alguns dos principais problemas que existem nas cidades são relacionados a mobilidade, moradia, saneamento, segurança e saúde.

Reduzir esses problemas e tornar as cidades mais inteligentes é um desafio urgente e necessário, especialmente no atual momento de pandemia e retração econômica.

Com o coronavírus, o protagonismo municipal aumentou, evidenciando a necessidade de se repensar as formas de gerenciamento das cidades.

Neste cenário, a tecnologia tem se mostrado uma ferramenta fundamental e estratégica na tomada de decisões, tanto para o gestores públicos como para os cidadãos.

Para colaborar ainda mais com o desenvolvimento destas estratégias, a Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) criou a Vertical de Negócios Smart Cities.

O propósito da vertical é ser um hub de inovação de empresas motivadas a encontrar soluções frente a todos os desafios existentes nos municípios.

“As cidades precisam se preparar para períodos como o atual e a responder da melhor forma, utilizando ecossistemas como o da ACATE para aprenderem a se desenvolver tecnologicamente e, por consequência, responder da melhor forma aos imprevistos. Na vertical, teremos um “cardápio” de soluções digitais para as cidades inteligentes, que tragam mais velocidade e agilidade à gestão, mais transparência e escala, e ajudem a resolver problemas complexos. Queremos que os municípios possam ter em mãos o melhor da inteligência artificial, da computação em nuvem e da análise de dados, ferramentas fundamentais para o replanejamento e a inovação”, explica Diego Ramos, diretor da vertical e vice-presidente de relacionamento da entidade.

Ele explica que uma cidade inteligente é aquela que tem foco no cidadão e procura promover melhorias para a vida das pessoas. Outro ponto é a importância da conectividade para que os cidadãos também sejam mais inteligentes:

“O acesso à internet com custo mais baixo possível precisa ser garantido. Pessoas mais inteligentes para termos cidades inteligentes”.

Em Florianópolis existem algumas iniciativas que ajudam a tornar a capital uma das sete cidades brasileiras mais inteligentes e com potencial de desenvolvimento.

Uma delas é a Rede de Inovação de Florianópolis, que tem como objetivo fomentar o ecossistema de inovação e tecnologia. Um dos projetos da rede, o Living Lab, é focado em buscar soluções inovadoras para o desenvolvimento urbano da cidade. 

Com o avanço da pandemia, a prefeitura buscou ferramentas tecnológicas para criar estratégias de combate e prevenção juntamente com o retorno das atividades econômicas.

Uma delas é o sistema Smart Tracking para fazer o rastreamento de pessoas que tiveram contato com um infectado durante o período antecedente ao aparecimento dos sintomas da doença.

Os ônibus e estabelecimentos parceiros instalaram um QR Code visível para os usuários, que fazem um cadastro na plataforma e um check in, gerando informações para as autoridades de saúde.

Outra iniciativa em Santa Catarina é a Sala de Situação Digital Covid-19, idealizada pelo Social Good Brasil com a finalidade de apoiar, com base em dados e evidências, os municípios de Santa Catarina nas tomadas de decisões para o enfrentamento da pandemia. 

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais