Governo vai criar conselho para ampliar o diálogo com setor produtivo de SC

Uma reunião entre o governador Carlos Moisés e representantes do setor produtivo nesta semana marcou a criação do Conselho de Governança, um órgão consultivo que ampliará o diálogo entre as entidades públicas e privadas de Santa Catarina.

O encontro também serviu para que o governo escutasse as demandas das federações empresariais e explicasse as ações que levaram o estado a obter um dos melhores resultados do país no enfrentamento da pandemia do coronavírus até o momento.

“Queremos criar um Conselho de Estado, que envolva também outros poderes e órgãos. Dessa maneira, nós buscamos uma visão externa de como eles estão interpretando as ações de Governo, além de sugestões e outras participações, como incentivar o engajamento em nossas campanhas. No fim das contas, o que se busca são soluções para os nossos problemas comuns, tanto do poder público quanto da iniciativa privada, no sentido de melhorar as nossas entregas”, destacou o governador.

As entidades empresariais parabenizaram o governo pela criação do conselho, que ainda vai ser estruturado.

Segundo o presidente da Federação das Indústrias (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, o setor industrial tem muito a colaborar com o poder público nesse momento de pandemia. Ele acrescentou que Santa Catarina deve ser o primeiro estado a superar a crise do coronavírus, a exemplo do que já ocorreu em outros momentos de dificuldade:

“A participação da sociedade organizada é extremamente importante. Nós vemos com bons olhos a criação desse Conselho de Governança para que possamos discutir, dentro da visão dos diversos setores, quais são as melhores medidas para preparar a retomada do crescimento em Santa Catarina”.

A opinião do presidente da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Jonny Zulauf, vai na mesma direção. Segundo ele, a aproximação do setor produtivo com o poder público é fundamental para preparar a recuperação pós-pandemia:

“Mais uma vez, estamos organizados e muito afinados com o poder público. Juntos, vamos buscar soluções para esse momento tão delicado que estamos vivendo. A grande virtude de Santa Catarina é essa abertura que nós temos com o Governo, principalmente em expor nossas dificuldades e buscar opções em conjunto. Santa Catarina reativa mais uma vez a busca pelo consenso”.

Quem também viu a iniciativa de maneira positiva foi o presidente da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), Daniel Leipnitz. Segundo ele, o encontro teve um simbolismo muito importante, pois reforça uma das principais características do setor produtor catarinense: o associativismo:

“Esse encontro marca um kick-off da nossa retomada econômica. O Conselho vai ser muito importante, pois nele vamos conseguir mostrar para o governador aquilo que está acontecendo em cada cantinho do nosso estado. Queremos ajudar o Governo a tomar decisões certeiras”.

Também participaram do encontro representantes das federações do Comércio (Fecomércio), das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais (Fampesc), da Agricultura e Pecuária (Faesc), das Empresas de Transporte (Fetrancesc), do Sebrae, além do chefe da Casa Civil, Amandio João da Silva Junior, e do secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais