Dia das Mães: 55% dos comerciantes apontam queda nas vendas

O Dia das Mães, segunda data comemorativa mais importante do ano para os lojistas, perdendo apenas para o Natal, deve ter queda nas vendas, segundo expectativas de empresários do setor.

A pesquisa foi realizada pela Boa Vista com 500 micros e pequenos empresários, entre os dias 23 e 30 de abril, no qual 55% dos entrevistados esperam quedas nas vendas se comparado com o mesmo período do ano passado, e para 93% dos pesquisados haverá retração dos gastos pelos consumidores.

Como medidas para sobrevivência, 85% dos entrevistados já adotaram ou irão implantar ações para manutenção do negócio e 62% tentarão evitar despesas extras, além da redução de custos fixos e renegociação com fornecedores.

Questionados sobre medidas para contornar esse cenário e alavancar as vendas nesta data, as empresas apontam ações como estimular vendas nas redes sociais, criação de novas promoções, facilitar o prazo de pagamento, conceder descontos em produtos de estoques, criar um canal de vendas online (site próprio ou parceria) e oferecer novas formas de pagamentos. 

Mesmo adotando ações de incentivo, empresários acreditam que consumidores irão priorizar outros produtos ao invés do tradicional presente, por meio compras online.

Quando o tema abordado é perspectiva de melhora no Brasil, 77% acreditam recuperar os negócios em até 12 meses, após a pandemia.

Apoio do e-commerce

O estudo identificou que 53% das MPEs já atuam com vendas pela internet (56% dentro do setor de comércio, e 48% em serviços), e 39% dos negócios, em média, são realizados através de sites de terceiros. 

Em média, 41% das MPEs irão realizar alguma ação online para alavancar as vendas para a data, principalmente o setor de Comércio.

Por outro lado, o estudo indica que, de modo geral, 31% das MPEs desconhecem todas as regras e indicadores para atuarem de forma completa e segura no mercado online, e tanto o setor de serviços quanto o de comércio sofrem com o desconhecimento de como mensurar resultados ao implantar um e-commerce e prospectar clientes.

Para 66% das empresas que atuam com e-commerce, o faturamento do online não ultrapassa 30% da representatividade no faturamento total.

Busca por crédito

A imprevisibilidade de retomada da economia irá estimular a busca por maior demanda de crédito, e o resultado do estudo aponta que 64% dos entrevistados do setor do Comércio certamente recorrerão a essa medida para diminuir os impactos causados pela crise nos negócios.

Do setor de Serviços, 48% dos participantes também confirmam a necessidade de busca por crédito, mas o número indica que o setor possui um fôlego maior.

De forma geral, 83% dos entrevistados demandarão crédito para conseguirem manter o negócio.

Questionados sobre a quem recorreriam para contratar crédito, em ambos os casos apontaram bancos como predileção, seguido de familiares, financeiras e amigos. 

O gráfico a seguir ilustra a quem os setores de comércio e serviço recorreriam na contratação de crédito:


você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. EntendiSaiba mais