Empresas do setor têxtil dão férias coletivas por conta do coronavírus

Tempo de leitura 2 minutos

Algumas empresas do setor têxtil estão anunciando férias coletivas, a fim de minimizar o impacto do coronavírus em Santa Catarina.

Reunimos abaixo algumas que nos enviaram informações sobre as medidas tomadas até o momento.

A Kyly, de Pomerode, com 1.800 funcionários, decidiu suspender suas atividades até o dia 5 de abril. Nesse mesmo período, a Karsten, de Blumenau e uma das maiores companhias do setor no país, também está de férias coletivas. A Altenburg, permanece no mesmo sistema até o dia 30 de março.

A Círculo SA, de Gaspar, manterá o expediente normalmente até o dia 21 de março e entra em férias coletivas a partir do dia 23 de março, se estendendo por 7 dias, seguindo orientações do Governo do Estado. Atualmente, 1.5 mil profissionais trabalham na companhia.

A Hering, uma das maiores do setor no Brasil também, concederá férias coletivas, a partir de hoje, dia 19, para as indústrias localizadas em Blumenau e, a partir da próxima segunda-feira, dia 23, às demais fábricas do país localizadas em São Luís de Montes Belos, Goianésia e Paraúna (GO) e Parnamirim (RN), conforme noticiado pelo portal mais cedo.

O Grupo Lunelli, de Guaramirim, também entrou em férias coletivas. A empresa possui 16 fábricas, que empregam mais de 4,8 mil funcionários.

Já a Teka e a Texcotton, ambas de Blumenau, estão adotando medidas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenção com foco na saúde dos funcionário.

Em seus comunicados, todas as empresas ressaltaram a possibilidade de prorrogar o período de férias coletivas, de acordo com a situação do coronavírus no estado.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais