Empresas do setor têxtil dão férias coletivas por conta do coronavírus

Algumas empresas do setor têxtil estão anunciando férias coletivas, a fim de minimizar o impacto do coronavírus em Santa Catarina.

Reunimos abaixo algumas que nos enviaram informações sobre as medidas tomadas até o momento.

A Kyly, de Pomerode, com 1.800 funcionários, decidiu suspender suas atividades até o dia 5 de abril. Nesse mesmo período, a Karsten, de Blumenau e uma das maiores companhias do setor no país, também está de férias coletivas. A Altenburg, permanece no mesmo sistema até o dia 30 de março.

A Círculo SA, de Gaspar, manterá o expediente normalmente até o dia 21 de março e entra em férias coletivas a partir do dia 23 de março, se estendendo por 7 dias, seguindo orientações do Governo do Estado. Atualmente, 1.5 mil profissionais trabalham na companhia.

A Hering, uma das maiores do setor no Brasil também, concederá férias coletivas, a partir de hoje, dia 19, para as indústrias localizadas em Blumenau e, a partir da próxima segunda-feira, dia 23, às demais fábricas do país localizadas em São Luís de Montes Belos, Goianésia e Paraúna (GO) e Parnamirim (RN), conforme noticiado pelo portal mais cedo.

O Grupo Lunelli, de Guaramirim, também entrou em férias coletivas. A empresa possui 16 fábricas, que empregam mais de 4,8 mil funcionários.

Já a Teka e a Texcotton, ambas de Blumenau, estão adotando medidas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenção com foco na saúde dos funcionário.

Em seus comunicados, todas as empresas ressaltaram a possibilidade de prorrogar o período de férias coletivas, de acordo com a situação do coronavírus no estado.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. EntendiSaiba mais