Termotécnica, de Joinville, firma parceria com escolas de samba de SP para reciclar isopor

Quem vê as belíssimas alegorias, fantasias e adereços no desfile de carnaval das Escolas de Samba de São Paulo nem percebe que essas criações têm como base o EPS, conhecido popularmente como isopor.

Por ser versátil, ao mesmo tempo leve e muito resistente, toneladas deste material servem de matéria-prima para promoverem um dos maiores carnavais do mundo.

Composto por 98% de ar, o EPS é 100% reciclável e, para dar uma destinação ambientalmente correta e sustentável, desde 2018 a Termotécnica, empresa de Joinville que se consolidou como a maior transformadora de EPS da América Latina, firmou parceria com a Liga das Escolas de Samba de São Paulo.

COMO FUNCIONA

Esse trabalho de logística reversa dura seis meses do ano.

Nos meses pré-Carnaval, onde os blocos de EPS são recortados e esculpidos para fazer surgir as imagens das alegorias, as aparas e sobras são recolhidas no galpão da Liga SP.

Após o desfile, as próprias alegorias são enviadas para reciclagem, dando destinação correta ao material e fazendo a economia circular na prática.

Por meio de uma máquina instalada no local, o EPS usado em adereços e carros alegóricos passa por um processo que retira o ar, diminuindo seu volume para viabilizar a logística reversa até a usina de reciclagem da Termotécnica, na unidade fabril de Rio Claro.

De lá, o material é transformado em PS (poliestireno) e segue para ser utilizado em novas aplicações.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais