Ahgora, de Florianópolis, planeja crescer 80% em 2020

A Ahgora, que atua com tecnologia focada em gestão de pessoas, espera “crescer em média 70% a 80%”, segundo Lázaro Malta, CEO da empresa.

No último ano, concentrou esforços em inovação, afim de obter resultados mais promissores.

“Era preciso sair da média. Então criamos novos produtos, cada vez mais disruptivos, que facilitam e mudam a vida de pequenas, médias e grandes empresas em um segmento, o de Recursos Humanos, que vem passando por grandes transformações”, explica o empresário.

Conhecido por ser um setor burocrático, analógico e centralizado, o RH começa cada vez mais ser parte estratégica das organizações e olhar para as pessoas como peças fundamentais para o sucesso do empreendimento.

“Era preciso descentralizar o RH, dar mais agilidade nos processos para poder focar em quem realmente importa: pessoas”, destaca Lázaro.

Baseada em Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (IA), as ferramentas da empresa utilizam o Cloud Computing para gerenciar os funcionários e suas atividades em tempo real.

De acordo com o CEO, a busca e a preocupação com a produtividade vai levar as empresas a utilizarem cada vez mais tecnologia no RH:

“Não tem muito mistério, para ter produtividade tem que ter treinamento e tecnologia. O ser humano precisa ser empoderado e ter tecnologia para ser mais produtivo. Hoje, vemos clientes nossos tendo uma redução de 20% a 30% no custo da folha, hora extra e mão de obra com essas ferramentas. Isso é um diferencial competitivo grande para as empresas”.

CRESCIMENTO

A empresa faturou R$ 30 milhões em 2018 e obteve um crescimento de 50% em 2019.

“E isso nos dá mais um motivo para festejar, pois mesmo com a economia do país crescendo a 1%, nós conseguimos alcançar um crescimento maior do que outras empresas do nosso segmento e de tecnologia, que alcançaram uma média de 10%. Foi um saldo extremamente positivo e consistente”, revela o empresário.

Atualmente a Ahgora é referência no segmento energético e aviação, e dá o primeiros passos para se consolidar também em outros grandes segmentos como o varejista, supermercadista e farmacêutico.

“Conseguimos aumentar o nosso market share em 30% nesse meio. Queremos encerrar o ano bem próximo dos R$ 100 milhões de faturamento”, finaliza Lázaro.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais